domingo, 20 de dezembro de 2009

A Pele do Medo

Santiago de Compostela, 2009 © Adelina Silva


não te rogo. pressinto-te deste lado e sei que nunca te tive como pensavas que te tinha. subiste um pano, mostraste-me o que eras, solto, leve, e não soube ver que aquilo era algo que vendias, algo que tentavas entregar a quem não te era como eu te era.

não é a tua pele que sinto quando me tocas como agora me tocas, é um fio de saudade, uma corda de dor, um medo próximo que julgávamos distante.

nunca desisti, amor.

deixei-te perdido, atirado para a sarjeta da mágoa solitária. nada me pediu que o fizesse. foi um lapso de amor, como se o amor fosse um rolo fotográfico com espaços em branco, imagens que não saem. venci-me por um espaço em branco. fraqueza. derrotei-me por ser humana.

Pedro Chagas Freitas, in "A Pele do Medo" (a publicar)


6 comentários:

mfc disse...

O equilíbrio desta foto é agradavelmente surpreendente... e há sempre alguém a espreitar a vida!

Pedro Ferreira disse...

A fotografia: uma mostra equilibrada de formas, muito bem enquadradas numa peça fotográfica captada com sensibilidade e mestria...

O texto: parece-me demasiado pessoal para comentar...

O blog: um espaco muito agradável, quer pelo seu conteúdo, quer pela estética (modelo muito bem escolhido)...

Deixo os meus votos de um excelente Natal e que 2010 seja o culminar de metas atingidas e promissor de um futuro bem risonho...

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

. intemporal . disse...

.

. um santo natal .

. de coração para coração .

. de dentro para fora .

. hoje e sempre, .

. com amizade .




. paulo .

.

João Viegas disse...

Feliz natal Adelina! Que nos continue a brindar com o seu lindo "olhar" fotografico.

Remus disse...

Bom sentido de profundidade, mas acima de tudo excelentes tonalidades.

Desejo-lhe um Feliz Natal, carregado de coisas boas.