domingo, 23 de agosto de 2009

Gaiola Dourada...

Porto, 2009 © Adelina Silva

Tenta fazer esta experiência, construindo um palácio. Equipa-o com mármore, quadros, ouro, pássaros do paraíso, jardins suspensos, todo o tipo de coisas... e entra lá para dentro. Bem, pode ser que nunca mais desejasses sair daí. Talvez, de facto, nunca mais saisses de lá. Está lá tudo! 'Estou muito bem aqui sozinho!'. Mas, de repente - uma ninharia! O teu castelo é rodeado por muros, e é-te dito: 'Tudo isto é teu! Desfruta-o! Apenas não podes sair daqui!'. Então, acredita-me, nesse mesmo instante quererás deixar esse teu paraíso e pular por cima do muro. Mais! Tudo esse luxo, toda essa plenitude, aumentará o teu sofrimento. Sentir-te-ás insultado como resultado de todo esse luxo... Sim, apenas uma coisa te falta... um pouco de liberdade.

Fiodor Dostoievski, in "O Movimento de Liberação"

3 comentários:

mfc disse...

Qualquer limitação à liberdade torna-se em asfixia insuportável a médio prazo.
Estas grades, deixando passar o ar, têm exactamente essa função negativa... a de não nos deixarem respirar!
Captaste o essencial.

Joni disse...

Curioso...tenho algumas fotografias do género. parece-me a cadeia da relação.Dostoievski o meu escritor preferido.
a música de fundo é lindissima.

Remus disse...

O pormenor provocado pelo vidro sujo, deu um outro impacto à fotografia.
O enquadramento foi muito bem escolhido, porque valorizou a presença das peças de roupa e o respectivo grafismo do gradeamento.