sábado, 14 de janeiro de 2012

Sonho... sem ter de quê



Póvoa de Varzim, 2009 © Adelina Silva

Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!
De que me servem a verdade e a fé?

Fernando Pessoa

8 comentários:

mfc disse...

Estavas inspirada neste dia...!

mfc disse...

Ahhh... e queria acrescentar que a imagem me remete de imediato para a cena final do filme "Morte em Veneza" em que a beleza de Tadzio envolve a morte de Dirk Bogarde!

ams disse...

É isso mesmo mfc! Faz lembrar essa cena do filme de Luchino Visconti!!!

Roberto Machado Alves disse...

Que belíssima postagem!!!
Sonhos, sem eles, não vivemos.
Obrigado por compartilhar, pois para mim, no momento, sonhos estão em primeiro lugar.

Um abraço e uma ótima semana para você.
Roberto, Rio de Janeiro

Pierre BOYER disse...

Lovely pictures....

Pierre

Existe um Olhar disse...

Um poema muito bem escolhido para duas fotos bem sugestivas com o elemento masculino a surgir de modo atraente.

Beijos
Manu

Remus disse...

Duas fotografias que conjugam-se perfeitamente, não fossem elas fruto do mesmo instante.
Tecnicamente a segunda ficou ligeiramente inclinada, mas nada de grave.
Bom trabalho!

Rute disse...

Perfeitas as imagens + palavras.
LINDO...

1 beijinho:)