sexta-feira, 13 de abril de 2012

Estar só é...


Valencia, 2012 © Adelina Silva

Por vezes cada objecto se ilumina
do que no passar é pausa íntima
entre sons minuciosos que inclinam
a atenção para uma cavidade mínima
E estar assim tão breve e tão profundo
como no silêncio de uma planta
é estar no fundo do tempo ou no seu ápice
ou na alvura de um sono que nos dá
a cintilante substância do sítio
O mundo inteiro assim cabe num limbo
e é como um eco límpido e uma folha de sombra
que no vagar ondeia entre minúsculas luzes
E é astro imediato de um lúcido sono
fluvial e um núbil eclipse
em que estar só é estar no íntimo do mundo.

António Ramos Rosa, in "Poemas Inéditos"

7 comentários:

PhotoAttraction disse...

Que coisa bonita!
Parabéns!

Remus disse...

O lugar é lindo. Mas a presença do elemento humano, dá-lhe ainda mais impacto e proporção.
Momento reparador.

Rute disse...

Estar só aqui, neste momento, com as palavras de Aº Ramos Rosa e com esta tua fotografia, é algo de extremamente reconfortante...a música a tornar o ambiente absolutamente mágico!
Excelente post. Senti-me mais do que em casa:))

1 bj e 1 bom fim-de-semana

mfc disse...

Um lugar quase mágico...

(Porque tens o verificador de palavras activo?!
É tão chatinho!)

Beijos,

Existe um Olhar disse...

Belo momento num espaço lindo!
Gostei!

PAULO | PHOTOS disse...

um banco "de jardim" e um cenário de "archistar" marcado pela presença feminina!...

boa foto.

Pierre BOYER disse...

J'aime beaucoup...

Pierre