quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Escuta(-me) a chuva

© Adelina Silva


permanecemos aqui, neste quarto, onde a escuridão é eterna claridade. fora deste lugar nunca viste o mar.
mas tudo isto se passou noutro tempo, noutro lugar. e a tua boca deixava na minha um travo de asas salgadas…
breves nuvens. o entardecer sobre o corpo estendido na erva fresca do sonho. Abrias nas pedras fulvas da praia um sítio para esconder a paixão.
cansei-me de te sonhar. cansei-me do sangue e da chuva, da memória dessas rotas difíceis.
donde te escrevo apenas uma parte de mim não partiu.
encosto a alma à quilha do navio. deixo-me ir no vaivém das marés, e da fala

Al Berto, in “O Último Coração do Sonho”

5 comentários:

João disse...

Belissima fotografia Adelina. De cor e romantismo. Parabéns

mfc disse...

Ficava aqui a olhar estas águas...
A água diz-me muito.
Gostava de ter tirado esta foto ( é a segunda vez que o digo...).
Aqui não me canso, nem me consigo deixar ir no vai e vem das falas!

micael disse...

O rio faz-me lembrar o "Príncipe Perfeito" que é um trecho do rio Vouga (Aveiro)onde, nos anos 50, havia regatas...
É muito bonito.
Bjs
Micael

micael disse...

O rio faz-me lembrar o "Príncipe Perfeito" que é um trecho do rio Vouga (Aveiro)onde, nos anos 50, havia regatas...
É muito bonito.
Bjs
Micael

Vitamina Dupla disse...

Bom dia Adelina mais uma vez um belo texto.

No Inverno tem dias que sabe tão bem escutar a chuva...

A foto e não é só esta está linda, gosto do enquadramento e do que ela me transmite a mim, um bonito olhar.

OFF TOPIC»» Adelina não sei se tem alguma página no olhares, senão tem e gosta de fotografia devia ter porque tem fotos fabulosas.

Beijinho grande