quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Fifth Avenue


Londres, 2011 © Adelina Silva

Isto de um homem se sentir só, à saída
do trabalho, do cinema, ao ir pra casa...

Saber que ninguém espera que cheguemos,
para alegrar-se ao ver-nos, ou rechaçar-nos,
torna inimiga, deserta
e inóspita a mais povoada rua.

Os amigos... Contam-me problemas
e com a pressa desandam. E uma pessoa fica
de novo e outra vez sozinha, constrangida
a enroscar-se no seu ego e no seu tédio.

Com que vazio deparamos em nós próprios
quando buscamos o nosso eu interno.
Que ser desagradável se contempla
examinando o nosso próprio ser.

E aqui, entre tanta gente, na cidade,
sentimos que nada interessamos a ninguém.

J. M. Fonollosa, in "New York - Cidade do Homem"


7 comentários:

photoattraction disse...

Bom p&b.
Gosto do movimento e do alinhamento à esquerda.

mfc disse...

... rush hour!
Perfeito!

Remus disse...

Tal como nesta fotografia, também a vida é passageira e passa em passo acelerado.

Existe um Olhar disse...

Por detrás dos passos acelerados , há vida, há o pulsar de corações, há emoção.
Uma foto com arte sem dúvida!
Beijos
Manu

João André Farinha disse...

Uma ilustração perfeita para o poema que escolheste.

Helder Ferreira disse...

Gosto bastante do efeito de arrasto..

Roberto Machado Alves disse...

Uma cena urbana muitíssimo bem captada. Adorei. Parabéns mais uma vez.