quarta-feira, 7 de março de 2012

Bar Botequim


Zaragoza, 2011 © Adelina Silva

Este homem que entre a multidão
enternece por vezes destacar
é sempre o mesmo aqui ou no japão
a diferença é ele ignorar.

(...)

Sentam-no à mesa de um café
num andaime ou sob um pinheiro
tanto faz desde que se esqueça
que é homem à espera que cresça
a árvore que dá dinheiro.


Natália Correia, in "O Vinho e a Lira"

6 comentários:

Fábio Martins disse...

Um café e uma frise groselha para a mesa 6 sff :)
Bem clicado Adelina

Remus disse...

A luz que vem da porta, é como fosse um chamamento celestial.
Bom momento, com um enquadramento/composição bem cuidados.

mfc disse...

aqui petiscaria uns "pinchos" e uns "bocadillos" com uma cervejola!
Uma panorâmica perfeita!

▒▓█► JOTA ENE disse...

Muito bom registo, poesia muito bem selecionada !

Rute disse...

Gosto imenso deste P&B. O jogo de luzes está lindo!

1 bj

Pierre BOYER disse...

J'aime beaucoup...

Pierre