quinta-feira, 15 de março de 2012

As mãos


Paris, 2012 © Adelina Silva

Aqui estão as mãos.
São os mais belos sinais da terra.
Os anjos nascem aqui:
frescos, matinais, quase de orvalho,
de coração alegre e povoado.
(...)
Não lhes toquem: são amor e bondade.
Mais ainda: cheiram a madressilva.
São o primeiro homem, a primeira mulher.
E amanhece.

Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã"

7 comentários:

João Mourão disse...

Parecem mãos em despedida. Mãos em sofrimento. Bem captado... e assustador.

mfc disse...

Olho sempre para elas...
Gosto de as olhar e olhar de novo!
Não me cansam...

Fábio Martins disse...

As mãos de uma pessoa (como estão arranjadas ou limpas) mostram muito o que as pessoas são. Costumo reparar nesse pormenor :)

Bonita foto Adelina

Remus disse...

Faço minhas as palavras do Mourão.
Dá mesmo a ideia que é uma luta pela vida.

Rute disse...

A escultura destas mãos é perfeita e extremamente expressiva e a tua fotografia mostra-nos essa enorme beleza por inteiro. Muito boa mesmo:)

* As palavras de Eugénio de Andrade também são muito belas.

1 bj

PAULO | PHOTOS disse...

brilhos e reflexos à superfície de matéria densa, contrastam com a fragilidade das mãos

gosto

DAlmeida disse...

E mais Paris, pois :). Adorei o poema. Costumo chamar minha mãe de madressilva; foi grata a surpresa desta associação às mãos.
Sem dúvida, um bonito pormenor o da foto. Belo post!