sábado, 9 de maio de 2009

Eterna agonia

Póvoa de Varzim, 2009 © Adelina Silva

As lágrimas que não chorei
arrependidas
fazem transbordar a eterna agonia do mar
como um lençol fúnebre
com que tivesse alguém coberto o rosto metafórico
dos cinco continentes que em nós existem

Cruzeiro Seixas

3 comentários:

Joni disse...

A foto para reter, excelente! Mar, azul, pescador e luto. Beijinho

mfc disse...

As lágrimas que não choramos entalam-nos!
A dureza da faina do mar presente na escolha do preto e branco...

Remus disse...

Um bom momento bem captado.
O preto e branco assenta-lhe que nem uma luva.