quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Observar é preciso

Santiago de Compostela, 2009 © Adelina Silva

Porque será que sentimos um desejo de proteger ao observarmos o ser amado que não se sabe observado? Porque será que nos dói o coração ao vermos um par de sapatos abandonado? Ou o ser amado que dorme? Pode ser que o corpo adormecido do ser amado expresse todo o patético desta ausência, todo o desamparo de quem ignora que está a ser observado...Os actores são pagos para fingir que não sabem que estão a ser observados, mas é claro que eles esperam a cooperação de quem os observa, e quase sempre a obtêm. E também há os actores que não são pagos (pensei eu): esses é que é preciso observar.

Martin Amis, in "Money"

4 comentários:

mfc disse...

Observar é uma arte... é ver o que os outros não vêem.
E os teus olhares continuam soberbos.

Remus disse...

Composição irrepreensível.
A presença do miúdo, faz toda a diferença.

Vitamina Dupla disse...

A mfc tem toda a razão, em tudo.

Que és de olhares eu sei e tens olhares fantásticos só não te comento mais vezes pq fico com poucas palavras para tal :-)
Obrigado pelo teu "comment" veio em boa altura....
Beijinho clicado:-)))

ruimnm disse...

De pequenino é que se peregrina...
Excelente composição.