terça-feira, 1 de novembro de 2011

Redoma


Magaluf, 2011 © Adelina Silva

(…)
Vem-me a angústia
Do limite que nos antagoniza. Vejo a redoma de ar
Que te circunda - o espaço
Que separa os nossos tempos. Tua forma
É outra: bela demais, talvez, para poder
Ser totalmente minha. Tua respiração
Obedece a um ritmo diverso. Tu és mulher.
Tu tens seios, lágrimas e pétalas. À tua volta
O ar se faz aroma. Fora de mim
És pura imagem; em mim
És como um pássaro que eu subjugo, como um pão
Que eu mastigo, como uma secreta fonte entreaberta
Em que bebo, como um resto de nuvem
Sobre que me repouso. Mas nada
Consegue arrancar-te à tua obstinação
Em ser, fora de mim - e eu sofro, amada
De não me seres mais. Mas tudo é nada.
(…)

Vinicius de Moraes, in "Poesia Completa e Prosa"


10 comentários:

Helder Ferreira disse...

Caramba! Esta foto até eu quero saber como fizeste! :)))
Gostei da transparência e dos reflexos da água... existe algum aquapark em Portugal onde tu possas meter-te dentro de uma bola gigante e deslizar pela água? :)

Adelino Silva disse...

Linda foto...
Belas palavras...
Sublime conjugação!

Fábio Martins disse...

A imagem está muito gira.
Aquilo é uma bola transparente?

mfc disse...

Uma foto surpreendente... e linda!

Roberto Machado Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Machado Alves disse...

Viver numa redoma...uma metáfora que pode significar tantas coisas.
Mais uma vez Vinicius, que acompanho desde criança e que, agora, reencontro no seu blog.
No Carnaval carioca deste ano teve uma escola de samba, a Império Serrano, que fez uma homenagem ao Vinicius. O desfile foi muito ruim e quase a escola foi rebaixada, mas o samba era emocionante e, inclusive, foi considerado um dos melhores sambas do ano.
Parabéns pela bela postagem.

Roberto,Rio de Janeiro

Existe um Olhar disse...

Um efeito fantástico Adelina.
Muita arte e engenho numa foto cheia de cor e movimento.
Beijos
Manu

Remus disse...

Esta deve ser uma boa e divertida forma de passar o tempo.
Uma fotografia que grita a férias e Verão.

João Farinha disse...

A situação é original, as cores estão fantásticas na sua incrível vivacidade. Excelente!

DAlmeida disse...

Realmente, uma grande conjugação. Uma imagem impecável, expressiva, enquadrada, original; com um poema tão denso ao limite da transcendência.
E, já agora, a Adelina tem muito bom gosto musical:-). Tenho levado daqui um monte!