quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

(Des)Encontros Virtuais

Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objectos patéticos.
Cursos paralelos
Frente a frente......
Sempre......
A se olharem...
Pensar talvez:
“Paralelos que se encontram no infinito...”
No entanto sós por enquanto.
Eternamente dois apenas.

Pablo Neruda

1 comentário:

joão disse...

Olá! Dois seres únicos, porque só assim se realizam, na sua individualidade. A realidade que se mistura com a fantasia, na interjeição do que não acontece.
beijo
cada vez mais um indefectível de Pablo Neruda :)