sexta-feira, 24 de abril de 2009

Porquê eu?

Sevilha, 2009 © Adelina Silva

Já há muito que procuro
Procuro o quê?
Procuro Procuro
Não sei
Ando aos tropeções às apalpadelas
Já não sei o que pensar
Serei só eu a sofrer?
Parecem tão distantes
Não sinto ninguém
Mas continuo nesta vida
No fim do caminho
Saberei ou serei apenas mais uma?


Isabel Romano Colaço

2 comentários:

mfc disse...

Na busca sempre se sofre.
Mas porosseguimos, porque há ali à frente uma curva e não sabemos se o que procuramos está depois dela.

Paulo - Intemporal disse...

__________________________________

vinte e cinco de abril de dois mil e nove
__________________________________

e porque são sei dizer melhor e se soubesse não saberia dizer assim, digo que,

"Há uma Justiça para ricos e outra para pobres, uma Justiça para famosos e outra para anónimos, como há Saúde e Educação diferentes para ricos e pobres. Cumprir Abril é uma questão de justiça. Já não podemos esperar mais 35 anos".

Paulo Baldaia

______________ para reflexão [...]