sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dança com Sapatos de Ferro

Póvoa de Varzim, 2009 © Adelina Silva

Era uma vez uma princesinha muito bonita, que estava a contemplar num espelho os seus lindos cabelos loiros, quando, de repente, lhe apareceu uma velha muito feia que lhe pediu que a deixasse pentear, pois nunca vira cabelos tão lindos. A princesinha, que teve muito medo da velha, não quis. Então a velha rogou-lhe uma praga – que tu tenhas de ir dançar todas as noites com o Diabo no Inferno, até gastares sete pares de sapatos de ferro. E nessa noite, quando a princesinha dormia, ao dar a última badalada da meia noite, foi levada pelo Diabo.

Ruy Coelho

[Com coreografia e interpretação de José de Almada Negreiros, Diabo, e Maria Mello Brayner, Princesa, foi apresentada no Teatro Nacional de S. Carlos, em Lisboa a 10 de Abril de 1918, três anos após a sua primeira representação (no palácio dos marqueses de Castelo-Melhor, na mesma cidade), A Princesa dos Sapatos de Ferro, obra composta em Berlim por Ruy Coelho, em 1912. O argumento é do próprio Compositor, baseado num conto popular.]

4 comentários:

mfc disse...

Ser-se levado pelo Diabo não é em si mau!
Há que ter em conta sempre qual é a alternativa...
Alguém me dizia (e eu concordo): quero ir para o Céu por causa das vistas e para o Inferno por causa da companhia.

Whispers disse...

Sera que o Diabo a levou mesmo?
Aqui eh que eh o inverno!
beijinhos,bom fim de semanana
Whispers

Paulo disse...

será esta história um final ou um re.começo

[?]

um beijo Adelina.
um bom fim de semana.

Remus disse...

Mas dançar com o diabo, não quer dizer que seja uma coisa má. Ele é pode saber dançar muito bem... :-) :-) Pelo menos dançar melhor que eu, isso sabe de certeza. :-)

A fotografia e o respectivo texto fazem uma a relação muito boa.